SuperFM Noticias

Todos os destaques do Rock estão aqui!
14 Setembro 2021

Bruce Dickinson Explicou Porque É Que Os Iron Maiden Continuam A Compor Músicas Longas

||
0 Comentários
|

Numa entrevista recente para o programa Trunk Nation Virtual Invasion, da SiriusXM, o vocalista dos Iron Maiden, Bruce Dickinson, explicou porque é que o grupo continua a compor músicas longas, progressivas e complexas, como as mais novas “Death Of The Celts”, “The Parchment” e “Hell On Earth” que excedem os dez minutos de duração cada.

“O Steve [Harris, líder e baixista do Maiden] e eu somos os responsáveis por isso, já que somos grandes fãs do progressivo”, disse Bruce. “Eu estava a conversar com alguém sobre isso, sobre as diferentes bandas que nós dois gostávamos. Somos grandes fãs dos Jethro Tull, por exemplo. Ele adoroa “A Passion Play” (1973) e o “Think As A Brick” (1972), enquanto eu sou mais “Aqualung” (1971) e os primeiros discos deles”, pontuou Dickinson.

“Ele [Steve Harris] é um grande dos Genesis, a época com o Peter Gabriel, e do disco The Lamb Lies Down On Broadway. Ele ama todos esses álbuns. Eu não sou doido pelo Genesis, mas curti muito o terceiro álbum solo do Peter Gabriel, o que tem músicas como Intruder e No Self Control. É assustador, sombrio e melancólico”, acrescentou.

“Tinha uma banda chamada Van Der Graaf Generator que era contemporâneos do Genesis, e, de certa forma, até mais conhecidos que o Genesis. Eu os amava. E peguei emprestadas algumas partes do estilo vocal do vocalista deles, Peter Hammill. Então nós dois temos essa relação com o progressivo, junto com Thin Lizzy, Deep Purple, Black Sabbath. Steve é muito fã do Nektar e do Scorpions, também”, completou o vocalista.

“Então, essas são as nossas influências para criarmos músicas longas. E elas são incríveis e com um quê hipnótico como  The Parchment. [Se tocarmos uma dessas música ao vivo], eu terei uns cinco minutos de folga durante o show”, finalizou.

Talvez queira ler também...   Dani Filth (Cradle Of Filth) Diz Não Acreditar Na Despedida Dos Slayer

Senjutsu, mais novo álbum do Iron Maiden, está disponível em vários formatos como 2CD Digipak, Deluxe 2CD Book, 3LP de 180g, Super Deluxe Boxset, com CD, Blu-Ray e memorabilia exclusiva e digital.

O novo trabalho de estúdio do grupo, que conta com 82 minutos de música, sendo assim, um trabalho duplo como o The Book Of Souls (2015), contou com a produção de Kevin Shirley, já a capa foi concebida por Mark Wilkinson (Judas Priest, Marillion).

|

Deixa um comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com