SuperFM Noticias

Todos os destaques do Rock estão aqui!
09 Janeiro 2019

Black Bombaim, The Twist Connection E Moon Preachers Na Primeira Super Nova De 2019

Arranca com Super Nova o novo ano de 2019. A partir de 11 de Janeiro há um novo grupo de bandas nacionais a percorrer o país de lés-a-lés na tour de casas que conta com o apoio da Super Bock. As três bandas que dão o mote para a quinta edição do circuito itinerante são: Black BombaimMoon Preachers The Twist Connection. Promessa certa de rock a passar pelo Porto (Maus Hábitos), Barcelos (CCOB), Évora (SHE), Leiria (Stereogun), Torres Vedras (Bang Venue) e Aveiro (GrETUA). As entradas dão direito a duas Super Bock, à excepção do Maus Hábitos, onde o acesso é livre.

Já dispensam grandes apresentações para o público nacional estes Black Bombaim. Donos daquele que é, provavelmente, o mais fascinante psych rock com fonte nacional, o colectivo surge do efervescente movimento de novas bandas saída da Barcelos dos finais de 90. Hoje, com uma plêiade de discos e uma mão cheia das mais relevantes colaborações (de Peter Brotzman a La La La Ressonance, de Jonathan Saldanha, a João Pais Filipe), são uma das bandas mais seguidas do underground português.

Bateria, baixo e guitarra: receita simples para os The Twist Connection alguns dos mais interessantes dos discos portugueses dos últimos anos. Do homónimo registo de estreia até Stranded Downtown há a velha escola do rock ‘n’ roll de Coimbra, aqui representada pelo mais que histórico Kaló (Tédio Boys, Wraygunn, Bunnyranch, Parkinsons), lado a lado com Samuel Silva (Jack Shits e Los Saguaros), Sérgio Cardoso (É Mas Foice, Wraygunn) e Raquel Ralha (Belle Chase Hotel, Wraygunn). Assumem influências de estéticas que sobrevivem do velho milénio. Gostam de Rock. Todos em pé, convidam: “Let’sTwist!”.

Talvez queira ler também...   Stone Sour Receberam Certificações De Ouro E Platina

O círculo fecha-se com os “putos” do burgo: Moon Preachers. Duo com vontade de agitar o garage/punk nacional. De frente para o mundo tocam o caos, e lançam para a frente o bem recente A Free Spirit Death, documento que retrata uma vida adolescente paranóica, confusa e fugaz.

À quinta edição, o Super Nova volta a assumir o compromisso com a criação de um circuito de espetáculos ao vivo juntando bandas saídas da nova fornada da música nacional e palcos por todo o país. Contas feitas, ao longo das suas 4 edições, estiveram envolvidas 30 bandas, 12 salas, 90 concertos – do Minho aos Açores – que movimentaram mais de mais de 19 mil pessoas em torno da música, naquela que é uma das principais apostas da Super Bock na criação de espaços que dão voz às bandas emergentes.

Deixa um comentário